sexta-feira, 15 de julho de 2016

1.02 - Afinal, por que Londres?


Diga lá, meus amigos e queridos leitores do Blog "Rumo a Londres"!

O post de hoje é dedicado a uma das perguntas mais frequentes que me fazem: "Por que Londres?"
Com tantas cidades no mundo, porque decidir viver na capital inglesa?

Bom, primeiro porque viver na Inglaterra era um sonho antigo. Desde adolescente eu nutria esse sonho, mas ele sempre ficava naquela lista de sonhos loucos que possivelmente jamais se realizem, sabe?

E vários motivos me levaram a sempre manter vivo esse desejo, que enfim poderei realizar. Quer saber quais? Vou citar alguns (porque se citar todos, esse texto vira livro e não termino nunca de escrever pra poder postar rs):

Londres é a meca da inovação, da diversidade cultural, e uma das maiores capitais financeiras do mundo. Os economistas e investidores que admiro em sua maioria viveram lá, ou se formaram em Universidades de lá. Eu como apaixonado por economia, investimento e finanças via nisso uma forma maravilhosa de acesso aos melhores profissionais e conteudos do mundo, in loco.

Os ambientes de negócios e estudos tem fama de serem fantásticos, algumas das maiores e mais admiradas empresas do mundo estão lá e várias universidades entre as melhor rankeadas em medidores de qualidade também estão em Londres, bem como as melhores e mais modernas escolas de idiomas para estrangeiros.

E como já falei, por gostar de economia, finanças e investimentos, meu sonho é poder frequentar a LSE (London School of Economics) quando estiver por lá.

É também em Londres que se encontra menos desigualdade social do que estamos acostumados. Pelos salários normais entre as diversas profissões não serem tão destoantes, Londres tem a fama de ser uma cidade onde as pessoas não são julgadas por quanto ganham ou pelo que fazem. E os serviços públicos funcionam tão bem que pobres e ricos frequentam os mesmos ambientes sem problemas e sem tanta discriminação como ocorre na maioria das megalópoles. Não existe o "público para pobres, privado para ricos, baixa qualidade para pobres, alta qualidade para quem pode pagar".

O serviço público de saúde é o maior exemplo disso, com atendimento de qualidade, com hora marcada e com a pontualidade britânica.E isso não só em Londres, mas em toda a Inglaterra. O curioso é que as coisas funcionem em uma cidade do tamanho e densidade populacional de Londres, que tem quase a mesma população de São Paulo, por exemplo.

Além disso, como amante de música, cultura pop/geek e entretenimento cultural em geral que também sou, nenhuma cidade reúne um ambiente cultural tão vibrante como Londres. É como se fosse a cidade feita sob medida para mim.

O cenário do entretenimento no geral é absurdamente movimentado, todo dia acontece algo em Londres, aliás, todo dia acontecem várias coisas em Londres. Você precisa escolher em quais eventos ir.

Musicalmente, Londres é um prato cheio, com um sem fim de artistas que marcaram gerações que chegaram a fama internacional lá, mesmo em alguns casos tendo iniciado suas carreiras em outras cidades do país. E isso vai desde Beatles até One Direction, passando por coisas tão diferentes como Spice Girls, Amy Whinehouse, James Blunt e, mais recentemente, Adele, apenas pra citar artistas dos mais diferentes nichos. Isso pra não falar dos novos artistas que pipocam na cidade, e os talentosos artistas de rua/metrô que demonstram toda sua arte gratuitamente, aguardando uma contribuição espontânea do público que os assiste. 

E o que falar dos filmes? Grandes filmes costumam serem rodados lá, e Londres sempre é uma das cidades a receber as pré estréias mundiais com a presença do elenco e da produção. Quer um exemplo? O aguardado filme da Liga da Justiça, que estréia em 2017 está sendo rodado lá.

E quanto aos museus? Alguns dos museus mais completos, famosos e concorridos estão lá, muitos deles inclusive gratuitos. Isso sem falar das peças de teatro, shows das mega bandas mais badaladas sempre garantidos de passarem por lá em suas turnês, e por um preço acessível, bem diferente do que ocorre quando uma banda gringa muito badalada vem ao Brasil, por exemplo.



E gosto muito de cidades que me permitam vive-las, e não vegetar nelas. Quem me conhece sabe que sou árduo defensor de um melhor aproveitamento do espaço público e ocupar a cidade, seja locomovendo-se através do transporte público, ou mesmo andando de bike por ai.

Nunca tive carro, não pretendo ter e sempre sonhei em viver numa cidade que permitisse às pessoas não dependerem de um carro próprio pra chegarem onde querem. Pois bem, Londres te permite tudo isso e muito mais. Além de cosmopolita e receptiva, Londres é provavelmente a cidade com o melhor sistema de transporte coletivo integrado do mundo.

Você escolhe se quer se locomover de metrô, o famoso Tube - que pronuncia-se Tchuuub rs - e suas mais de 270 estações que se estendem por mais de 400 quilômetros (!!!) pela cidade (você não leu errado, são mais de 270 estações de metrô e 400Km de linhas de metrô, em uma única cidade. Fica a dica, Sampa!), ou se quer circular pela cidade dentro dos mais de 9 mil e também famosos ônibus vermelhos trafegando por mais de 675 linhas, que jamais levam mais de que quinze minutos para passar no seu ponto, mesmo aos finais de semana.

E não para por aí. A cidade ainda disponibiliza uma vasta malha ferroviária com trens que te deslocam não apenas dentro da cidade mas também para outras províncias do país e até pra fora do país, com uma linha de trem rápido que te leva até Paris, na França. Você também tem a opção de se locomover de barco através dos famosos Ferrys que atravessam o Rio Tâmisa, ou pelos monotrilhos suspensos, e até de Bicicleta.

Sim, em Londres também existem as bicicletas de uso público patrocinadas por bancos, e se aqui no Brasil elas são patrocinadas por Itau e Bradesco, em Londres é o Santander quem as decora com seu design e cores. São mais de 10 mil (!!!) bikes espalhadas por mais de 700 estações de bike (!!!!!!). Existe uma estação de bike a cada 300 à 500 metros, mesmo nas regiões periféricas da cidade, o que não acontece em cidades brasileiras como São Paulo, por exemplo .




E o mais importante é que todos esses meios de transporte são de uso integrado, e você pode pagar as tarifas de todos utilizando um único cartão, o Oyster Card (versão londrina do Bilhete Único de SP, Rio Card do RJ e afins).


E quem não tem Oyster pode pagar na hora com seu cartão de crédito, utilizando-o nas catracas da mesma forma que se usa o Oyster. Traduzindo: você nunca vai ficar na mão porque está sem saldo ou esqueceu de carregar o seu bilhete, rs.






A cidade ainda possui belos e grandes parques públicos em todas as suas regiões, com fácil acesso, e um sem-fim de pontos turísticos, castelos, e uma vida noturna agitadíssima com os mundialmente populares pubs ingleses. Pra quem gosta de caminhar, correr ao ar livre, respirar ar puro e tudo o mais, como eu, e para aqueles que são como morcegos que preferem a noite ao dia, Londres se adapta fácil aos anseios de qualquer um.


E é na adaptação que está o maior trunfo de Londres. Como citei, é uma cidade cosmopolita, talvez a mais cosmopolita de todas as cidades ocidentais, isso graças a um número gigantesco de imigrantes e estudantes estrangeiros que vivem na cidade.

Graças a isso, a cidade está repleta de comunidades e comércios de nacionalidades específicas, tudo junto e misturado. É como dar a volta ao mundo e conhecer quase todas as culturas do planeta apenas rodando dentro de uma mesma cidade. Pra mim, que sou apaixonado por novas culturas e por diversidade, não poderia haver ambiente culturalmente mais diversificado do que o londrino.

Enfim, eu poderia ficar por horas escrevendo sobre coisas que sempre me motivaram a querer viver em Londres, mas pro post não ficar ainda maior, em futuras postagens tratarei cada motivo individualmente, assim poderemos entrar no detalhe sem que se torne uma tese de mestrado rsrsrs.

Mas e vocês? Porque se interessam por Londres. Motivos parecidos? Diferentes? Escreva nos comentários abaixo, ou em nossa página no facebook.


Pagina Oficial "Rumo a Londres" no Facebook:


2 comentários:

  1. É isso aí, Luiz...
    Retratou muito bem as faces da capital inglesa. O que me fascinou quando estive l=
    á em 2010 foi justamente o jeito que a cidade se conecta através dos diversos meios de transportes, todos interligados, e funcionando perfeitamente e sincronizados numa pontualidade que só se vê em cidades que merecem ser chamadas de primeiro mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Nelson! Londres é de fato uma cidade que integra seus cidadãos de várias formas, entre elas esse transporte coletivo eficiente que só se vê ali. É o direito de ir e vir, com segurança, qualidade e rapidez, sendo levado a sério. E todo ano eles inovam e aumentam as frotas. Se em 2010 o transporte coletivo já te fascinou, imagina como deve estar agora? 😉👊

      Excluir